Make your own free website on Tripod.com
JSD - Núcleo Litoral do Porto
Início
Próximas actividades
Notícias
Ser militante da JSD
O que é o Núcleo Litoral do Porto da JSD?
Quem somos
Autarcas da JSD
Contacta-nos
Votações (NOVO)
Links
Ciclo de Conferências-Debate
Textos e documentos
Humor :)
Jogos
Comício de rentrée em Caminha

Festa/Comício em Caminha: Confiança para Modernizar Portugal  PSD

Festa/Comício em Caminha: Confiança para Modernizar Portugal

Na primeira acção do novo ano político, o presidente do PSD e primeiro-ministro, José Manuel Durão Barroso, foi a Caminha dirigir uma mensagem de confiança aos Portugueses. O líder do PSD pediu estabilidade política até 2010, elemento crucial para a modernização do País. 

O retrato da "rentrée" em Caminha

Depois da Póvoa de Varzim em 2002, a Comissão Política do PSD escolheu Caminha para acolher a primeira acção política pós-Verão de 2003. Três mil pessoas deslocaram-se à Praça do Conselheiro Silva Torres, conhecida localmente por Terreiro de Caminha, para participar na iniciativa. O Terreiro de Caminha constitui o coração histórico da vila, um local emblemático e activo, com espaços comerciais, cafés e esplanadas.

O município de Caminha foi uma das grandes conquistas autárquicas do Partido Social Democrata nas Eleições Autárquicas de 2001. Caminha traduziu-se numa vitória do PSD sobre um executivo socialista, que desde 1976 dirigia os destinos do concelho.

Júlia Paula é a actual presidente de Câmara Municipal, autarquia com 20 freguesias, representando cerca de 15 mil eleitores.

A Comissão Política Concelhia do Porto da JSD arranjou uma camioneta para levar os militantes da cidade interessados em participar nesta iniciativa, para a qual todos foram convidados por carta. O nosso Núcleo, claro, também marcou presença!

Os discursos

Durão Barroso garantiu uma descida dos impostos sobre as empresas (IRC) já em 2004 que passará dos actuais 30 por cento para os 25 por cento -, e uma redução dos impostos sobre os rendimentos singulares (IRS) até ao final da presente legislatura. O presidente social-democrata anunciou ainda que o Orçamento de Estado de 2004 vai privilegiar a Educação, Ciência e Cultura, sendo que todas as 32 mil salas de aula do primeiro ciclo serão equipadas com um computador com ligação à Internet. A reforma das reformas, a Administração Pública, avançará em Setembro.

De acordo com o primeiro-ministro, todas estas medidas têm um alcance de longo prazo, reconhecendo por isso que há um longo caminho a percorrer. Estas medidas vão ser acompanhadas por um controlo rigoroso da despesa pública, pelo que o défice público de 3 por cento limite imposto pelo Pacto de Estabilidade e Crescimento (PEC) será cumprido. A esse propósito, Durão Barroso salientou que Mais vale fazer alguns sacrifícios no imediato do que esbanjar no presente o que é preciso para o futuro.

O alargamento da União Europeia em Maio do próximo ano não atemoriza o primeiro-ministro, porque "Portugal pode fazer tão bem como os parceiros europeus. E apontou o caminho a seguir: "a solução é preparamo-nos para competir e ganhar a batalha da modernização".

"Construir um País mais próspero e mais e justo" foi a mensagem que Durão Barroso levou aos Portugueses no Alto Minho. Um discurso de meia hora pautado pela convicção e coragem: O trabalho que estou a levar a cabo é pelo menos de duas legislaturas, vamos arregaçar as mangas (...) Vai ser uma honra sermos julgados no final de 2006, sublinhou Durão Barroso, garantindo que a primeira tarefa deste executivo é modernizar Portugal. E esta será a última oportunidade para que o País possa recuperar o atraso em relação à Europa mais desenvolvida.

O presidente da JSD, Jorge Nuno Sá, e o presidente da Comissão Política Distrital do PSD de Viana do Castelo e presidente Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, Francisco Araújo, abriram os discursos da noite. O primeiro sugeriu a criação de um programa de voluntariado para a limpeza das matas e das florestas. Francisco Araújo elogiou a acção do Governo, nomeadamente o trabalho que está a ser realizado em matéria de desenvolvimento de infra-estruturas decisivas para a competitividade da região do Alto Minho.